quarta-feira, 22 de abril de 2009

Cheiro do pó

Cheira a pó...
Se eu conseguisse alcançar o cansasso e seu significado;
Se tudo não passasse de uma idéia fria e tola;
Eu poderia conseguir castigar esse momento febril... Mas tudo cheira a pó.

Me mantenho atrás de palavras dóceis, envenenadas com calor
De desejo infame e inflamável radiação de amor.

Estoura o termômetro da alma
E em meu colo se alastra a mancha da lágrima insossa
Como seu eu repetitivamente apunhalasse minhas entranhas... Estranho...
Pois me sinto até melhor, mas muito longe do mal de estar bem...

[...] Mal posso esperar para estagnar outra vez essa inescrupulosa porção de palavras...

Cheira a pó... e nada desodoriza.

Um comentário:

Panda disse...

eu choro lágrimas de pó!
eu vejo tudo se perder
quando eu me lembro que estou só!

cheira a loló...
cheira a pó...
cheira a estrago total.
normal.
e passa.